ÁGUIA – Consultoria Hoteleira Especializada

Dificuldades são para Profissionais

Custos, porque cuidar deles.

Paulo Alceu se refere ao preço da Feijoada, e isto vem de encontro ao que já tentei que entendessem várias vezes. O preço da feijoada sobe, e o dos ingredientes desce. Explora-se o Turista, o cliente e não o Turismo. Na Verdade a maioria das casas que serve feijoada (ou qualquer outra coisa) desconhecem na integra um processo chamado custos. Os Administradores não sabem nem sequer imaginam, quantas feijoadas teriam que vender, para, por exemplo, abrir a casa naquele dia, até porque não sabem o lucro exato que estas lhes deviam proporcionar. E sabem menos ainda que se trabalharem com o lucro Honesto e correto de um restaurante, ao fim de tudo pago terá SOBRANDO (isto sim é o lucro) 33,33% – este é o percentual de lucro de um restaurante. Acima, está errado e exorbitante, abaixo o administrador precisa ser instruído, pois não tem a mínima noção do que está fazendo.

(Há casos em que isto altere mas são casas de alto nível onde facilmente um casal pagará mais de R$.350,00 por um jantar e sem poder fazer grandes “aventuras”. Na verdade o filet o salmão ou o hadock servido nestes lugares, é igual ao que comemos em casa e dependendo do ingrediente ele vai custar entre 25 e 80 reais o kgr. O que torna o preço da refeição elevado, é o requinte do serviço e elaboração dos pratos.

Nestas casas entra-se sabendo que, na maioria delas pelo mundo, já temos algumas no Brasil, o cardápio está sem preços.)

Não entendendo de Custos, ele não vai conseguir entender que para a sua movimentação como um todo, é muito mais interessante vender 200 feijoadas a 17 ou 20 Reais por pessoa O que é Caro para Feijoada, do que vender 100 a 50,00. Parece um erro, não, não é. E eu garanto que prefiro e venderia 200 a 15,00 com muito mais lucro do que quem vendeu as 100 a 50,00. (Sem perder em qualidade e com certeza talvez até ganhando) Isto além de custos é Administração de unidades Hoteleiras e Similares. E acreditem 200 a 15 dará com certeza 50%+ de lucro do que as 100 a 50. E Não se esqueçam de que aqui, não falo de realização e sim percentual de Lucro.

Os custos, precisam estar na mente e no dia a dia de todo e qualquer gestor, o hoteleiro precisa saber quantos apartamentos precisa ter ocupados por dia, para manter as portas abertas.

Leve-se em conta que na administração hoteleira, há a receita de venda paralela, são estatísticas e nrs que precisam vir atualizados,elas  variam com a estrutura de marketing de cada hotel, mas a rigor e na grande hotelaria mundial, o segredo é manter os hospedes dentro do complexo,a cama é para eles descansarem, o lucro está em tudo o resto, o que realmente dá lucro é SERVIÇO, e não há serviço impossível, há várias formas de prestá-lo, quanto mais versátil se for, mais pessoas se interessam pelo hotel. E este tem obrigação de gerar um lucro médio anual que pode variar entre 29 e 33% se assim não for, tem que se rever toda a estrutura. E continuo falando de Lucro Liquido.

Os custos são fundamentais também, para saber quando estamos em patamares que os mesmos precisem ser diluídos, só recorro à redução de custos em último caso, cortar despesas na maioria das vezes, nos leva a baixar o nível de serviços e este é sempre Muito importante, assim, custo se diluí, e em último caso, extremo, se corta.

Mas há que se preparar para Administrar a Indústria do Turismo, e todos os seus departamentos.

31/07/2009 - Posted by | Administração Hoteleira |

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d blogueiros gostam disto: